Astrofísicos descobriram algo peculiar, o que parecem ser galáxias no Universo primitivo, que contém pouquíssimas ou nenhuma estrela, ou seja, galáxias escuras.

No entanto, como as galáxias escuras não contêm estrelas, apenas matéria e gás, elas emitem pouca luz visível, tornando-as muito difíceis de detectar e estudar. Apenas alguns candidatos foram detectados.

Assim, a descoberta de seis novos candidatos poderia realmente ajudar a desvendar o que são as galáxias escuras e seu lugar na formação de galáxias.

Foi através de uma combinação de uma técnica antiga e uma nova tecnologia que permitiu que uma equipe de pesquisadores liderada por físicos da ETH Zurich fizesse a descoberta.

A técnica baseia-se na presença de quasares , que são alguns dos objetos mais brilhantes do Universo, alimentados por buracos negros supermassivos nos centros das galáxias.

A luz não vem do buraco negro em si, mas a incrível fricção no disco de acreção ao redor do buraco negro.

Se uma galáxia escura, cheia de hidrogênio, estiver perto de uma galáxia com um quasar no centro, ela atuará como uma espécie de lanterna cósmica, e essa linha aparecerá em seu espectro.

Esta técnica foi usada antes, principalmente para identificar um número de candidatos a galáxia escura em 2012, usando o Very Large Telescope do European Southern Observatory.

Mas em 2014, um novo instrumento foi adicionado ao telescópio, o Multi Unit Spectroscopic Explorer, ou MUSE. Isso permitiu que a equipe observasse mais longe do que a instrumentação anterior tinha sido capaz de alcançar, identificando as galáxias escuras mais antigas do que as que haviam sido vistas anteriormente.

Os pesquisadores apontaram MUSE em seis campos de quasar, estudando cada um por um total de 10 horas de tempo de observação.

Eles adquiriram informação espectral completa para cada um dos candidatos a galáxia escura, e foram capazes de distingui-los de cerca de 200 ou mais emissores de Lyman-alfa, que provavelmente não seriam galáxias em formação de estrelas normais.

Créditos da imagem: (Marino et al. / The Astrophysical Journal)

Fonte: https://www.sciencealert.com/dark-galaxy-candidates-identified-early-universe-z-3-2-lyman-alpha

Ned Oliveira

Apaixonada por astronomia.

Ver Todos os Artigos

Adicionar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *